sábado, abril 29, 2006

Gênesis

No que você falou foi que eu percebi. Estávamos lá eu e ele naquele programa da TV. Eu e ele falando de como nossa parceria tinha dado certo. Pois é, você veja só, my friend. Muitas coisas acontecidas: filmes, peças de teatro, até uma convivenciazinha de um ano e meio vivendo juntinhos e sem brigar sequer uma vez. Não é uma coisa pra se comemorar? Não é mesmo pra você ir no talk show e falar, falar, falar? É sim. Não me diga que não é porque é. As coisas aí fora estão brutas, meu chapa. Desde a criação. E a tendência inevitável é piorar. Você me diz d’ont-worry-be-happy mas eu não posso desviar da minha frente a nuvem de pó que vem vindo, o redemoinho levantando tudo, os bichos do fundo do mar olhando horrorosos pra gente. Não posso. Categoricamente que não posso. Por isso é que tínhamos sim que ir naquela televisão e falar pro mundo inteiro Olha aqui, ó. Olha aqui. Aqui estão duas pessoas que nunca brigaram na vida. Já fizeram não sei quantos filmes, não sei quantos teatros, já ficaram bêbados e tropeçando e nunca brigaram. Nem na vez que eu mijei do lado da cama dele achando que estava no banheiro nós nunca não brigamos. Por isso, mundo; por isso, pessoas, nós estamos aqui para dizer pra você. Nós estamos aqui pra dizer tudo isso pra vocês. Não importa o que vocês sejam, mas nós estamos aqui pra dizer tudo isso pra vocês.

E estávamos lá dizendo tudo aquilo e comemorando mais um êxito dessa parceria formidável quando o cara da entrevista resolveu fazer uma brincadeirinha meio porca com a gente. O fato é que o tal sujeito resolveu fazer uma alusão ao fato de que ele era viado e eu ser muito macho. O sujeito resolveu e falou assim Quem é a criatura e quem é o criador? E continuou Quem aqui nasceu da costela de quem?

Ora, veja bem. Veja muito bem mesmo se eu tenho ou não que ficar emputecido. O que aquele famoso queria dar a entender? O babaca queria mesmo era sugerir que um dos dois ali era mulherzinha, uma Eva gerada de Adão, brincando assim com as sagradas escrituras e ainda mais com o livro de Gênesis, coisa que não se faz. Coisa que categoricamente não se faz. Com viadagem não se brinca. Ainda mais com a viadagem do outro. É preciso respeitar. Não é porque você tem um programa de TV que pode sair fazendo e acontecendo em cima das pessoas. Pode? Não pode. Mas até que foi muito bom ele ter falado assim essa bobagem às custas de Adão e de sua costela genética porque me deu uma idéia. Uma idéia mais filosófica que religiosa. E eu não tive outro remédio a não ser colocar tudo pra fora ali mesmo.

Na verdade, foi mesmo um desabafo. O que eu queria era mostrar pro mundo que muitas vezes as coisas não são o que parecem e que pro mundo continuar nesta debacle só mesmo por causa de uns babacas feito aquele que davam coisas a entender sem nunca entender das coisas. Por isso foi que eu disse Olha aqui, meu chapa. Você ainda está achando que o mundo foi feito de uma costela de Adão mas não foi não. E o cara: Como assim? Eu não falei nada disso. E eu: Falou sim. Você falou sim. Mas eu não vou brigar agora com essas coisas. Só vou mesmo explicar é que pra uns babacas como você o mundo foi feito mesmo é do pinto de Adão. Não é isso? Do caralho, do pau, do cacete, da jeba, do boticão. Você entendeu? Entendeu que o mundo pra uns é feito de uma coisa e pra outros de outra? Que pra você ele vem do toco e pra mim ele talvez nasça da cheirosinha, da perfeita? Você entendeu isso? Se não compreendeu, eu posso continuar explicando ou me levantar daqui e dar uns tabefes na sua cara. Você quer? Você quer que eu faça isso? Anda, me responde logo. Mas o sujeito não queria e a partir daquele momento, com a clemência e o entendimento e a aceitação do todo poderoso, daquele que julga e governa, a criação tinha sido reinaugurada. Especula especulorum.

O reino passava a ser nascido de uma jeba, ou de uma cheirosinha.

2 comentários:

Pierrot Lunar disse...

Olá Edmundo,

seja lá qual for esse famoso da tv, é de se indignar mesmo. Êta cabeças reduzidas por frases prontas, não é? Como você mesmo diz no discurso de Ana em Falar, "as pessoas que trabalham na televisão acham que estão lá porque são muito inteligentes...".

Ah, fiquei sabendo do seu aniversário nessa semana. Grande beijo, felicidades, com saúde, alegria e essa competência e genialidade pra articular as palavras e pensamentos e dar a nós atores um prazer enorme em dizê-las.

Feliz aniversário,

Neise Neves e Léo Quintão

Thiago Tenório, namorado da Débora, sua sobrinha... disse...

Escritor, que vertigem! Que conto absurdo, que coisa pungente! Estou, categoricamente, contigo e não abro... e pra mim esse mundo todo, incluindo os babacas e os poetas, incluindo até Deus, foi feito de uma cheirosinha, sim senhor!